AR Lenoble

História

O champagne AR Lenoble, é uma das raras Casas de Champagne a permanecer ainda hoje familiar e inteiramente independente.

Em 1915, Armand-Raphaël Graser, então comercial de vinhos em Alsácia, deixa a sua região natal para dedicar-se ao Champagne. Instala-se em Damery, num edifício do século XVIII , com arquitetura tipicamente Champagnesa, atual sede da sociedade. A partir de 1920 começa a produzir champagne que comercializa sob a marca “AR Lenoble”. “A.R.” para as suas iniciais e “Lenoble” em homenagem à nobreza dos vinhos de Champagne.

Em 1947, sofre uma queda fatal durante uma colheita e o seu filho mais novo, Joseph, sucede-lhe. Em 1973, a Casa encontra-se numa situação financeira difícil após uma má gestão.

No entanto Jean-Marie Malassagne, neto de Armand-Raphaël, preocupado em conservar a Casa no seio familiar, aceita o desafio com paixão. A paixão levou a uma gestão de 20 anos.

Em 1993, a crise não poupa o Champagne e Jean-Marie é incentivado a passar o negócio. Os seus três filhos são consultados para uma eventual retoma, ou então a Casa seria vendida. O seu filho mais velho médico-cirurgião, declina a proposta, o seu filho mais novo, terminando justamente os seus estudos não deseja então tentar a aventura. A sua filha Anne, com um cargo na L’Oreal, bem distante do meio dos champagnes, decide no entanto voltar ao campo e dar-lhe um novo impulso. Três anos mais tarde, é a vez de Antoine juntar-se à sua irmã, após ter passado pelo ramo agro-alimentar. A quarta geração está instalada.

Produtos da casa